AK-47: A arma que conquistou o mundo.

24kalashnikov1-master1050

Salve guerreiros, tudo certo? Hoje a gente vai falar sobre uma das armas que mais matam no mundo inteiro. Que fez sua história a partir da segunda metade do século XX, e ainda é comercializada nos dias de hoje. Como você já adivinhou, vamos falar sobre a AK-47.
Entre as principais façanhas estão: Vencer os rifles americanos no Vietnã, substituiu a lança de tribos guerreiras da África, virou ícone da bandeira de Moçambique, monumento na Nicarágua, bombou o cartel do narcotráfico colombiano e, hoje, está nas mãos de terroristas islâmicos e traficantes cariocas. E tudo isso em pouco mais de 60 anos de vida.

120903_hd

Logo após a segunda guerra mundial, Joseph Stalin, até então líder da URSS, decidiu criar uma arma poderosa que fosse usada por todos os países comunistas. Com uma produção em grande escala, seria mais barato e fácil produzir tanto o rifle como a própria munição. E para decidir qual seria o rifle produzido, o governo soviético promoveu um concurso entre desenhistas no ano de 1947. O ganhador foi um ex-soldado da Segunda Guerra que tinha começado a desenhar a arma cinco anos antes, enquanto estava na cama de um hospital.

O que faz o AK-47 ser única, é a simplicidade. Foi feita a partir de apenas 8 peças. Pode ser desmontado e montado em menos de 1 minuto por uma criança. Isso faz com que qualquer soldado consiga consertar a sua arma com a primeira peça de fuzil que achar pela frente.
Além do fato de poder dar inúmeros disparos mesmo depois de entrar em contato com lama e areia. É isso que faz com que o AK-47 seja leve e fácil de manusear e ainda por cima indestrutível.

BwN9uFYIUAANMkR

Com tantas vantagens o Rifle deveria custar uma nota, certo? Errado! Na realidade você só precisaria preencher um requisito para ter o AK. Ser de esquerda, ou seja… comunista!  Na guerra fria Stalin distribuiu licenças de fabricação para diversos países do Leste Europeu, como Polônia, Hungria, Bulgária, Alemanha Oriental e Iugoslávia. Também passou a ser fabricado na Coréia do Norte e na China.

A primeira guerra em que o Rifle Kalashnikov foi usado com sucesso foi na Guerra do Vietnã. O AK-47 foi essencial para o Vietnã do Norte invadir o Laos, em 1958, com apoio da URSS. Seis anos depois, quando os EUA enviaram tropas para livrar o sul do Vietnã do comunismo, o AK-47 deu uma boa surra nas armas americanas. Na selva tropical do Vietnã, o AK-47 resistia a lama, poeira e era uma arma ágil para disparos de perto. Já o M-16 apresentou vários problemas de carregamento e disparo: não tolerava o contato com sujeira.

890090c6755a6ab8f42a531360ebcf62

Com o fim da URSS, milhões de AK’s ficaram sem utilidade alguma. Com uma oferta muito maior que a procura, o preço dela despencou. E é por isso que os maiores traficantes de armas são do leste europeu (Você já assistiu o filme “o Senhor das Armas”? Recomendação da Tática militar). Depois de conseguir estoque com os militares da ex-URSS, os traficantes vendiam os armamentos para o mundo todo, em especial para a África, onde trocavam armas por diamantes negócio ruim, hein?
Na América do Sul o rifle chegou por volta de 1970. Alimentado pelo tráfico de cocaína, os carteis precisavam de proteção, e nada melhor do que um Rifle simples e letal.

Mas ao menos o contrabando de AK-47 não existe mais, certo guerreiro? ERRADO!! Ele continua vivo, e por incrível que pareça ainda é alimentado pelo antigo estoque soviético produziram rifles pra cacete e também por exemplares pirateados.

E aí, o que você achou da história do AK-47? Comenta aí! Ah e comenta também qual o próximo tema que você gostaria de ver aqui. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *